segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Quinze anos....quem diria:(

Ontem fez quinze anos....lembro -me de tudo tão bem...
25 Janeiro de 1994 ficou marcado para sempre nos nossos corações...
Estas partidas faz-nos pensar mesmo muito nesta vida...
Manos adoro-vos e OBRIGADA por tudo o que fazem por mim...

6 comentários:

Paula Rodrigues disse...

É verdade... quinze anos...
Foi um golpe duro nas nossas vidas, na nossa estrutura... Sem dúvida, aprendemos a olhar para a vida com outros olhos e senti-la e encará-la de outra maneira. A dor mostrou-se professora e revelou o quão frágil somos… quando ficamos desprovidos de amor, daquele amor.
Aonde quer que estejas, Pai, muitos beijinhos para ti e temos muitas saudades tuas!
Para vocês, Manos, aquele abraço!

Gilberto disse...

Lembro-me ao pormenor dos minutos, do dia, do tempo, do corredor do hospital da hora etc.
Mais lembro-me da conversa do dia anterior, de umas 4 horas de narrativa eu a falar e a responder a muitas perguntas.. do outro lado alguem que ouvia e precrutava para alem da resposta e da dimensao daquele quarto de hospital.
Alguem que pretendia partir, mas uma ultima conversa era necessaria para o fazer em paz.
Lembro-me muito bem da conversa, dos detalhes, do olhar, da boca cerrada para conter a emocao e duro como era nao dar sinal de fraqueza.
Lembro-me dos conselhos do que me disse e dos conselhos para a vida...
Naquele dia 25 de 1994 pelas 15.15 deixei de ser menino com 22 anos e passei a ser homem.
Agora passados 15 anos em que muitas coincidencias se cruzaram entre as nossas vidas pai, o Malawi, Nkhotakota, Mocambique, a EMOCIL, Maputo sinto que sempre estivestes por perto...ou entao seriam coincidencias a mais.
Fazes falta, muita falta...
A palavra, o conselho, a analise sabia que so a vida permite, o calo e a certeza de que havia um porto de refugio, onde as tormentas se avistam mas no qual estamos seguros...nada disso esta ca. Navegamos a vista muitas vezes sem certezas, com um no na garganta e um aperto no peito indo sempre em frente, mais e mais. Rssolutos como tu fostes sem medos.
Fazes falta Pai!
Olho para traz 30 anos e vejo-me em cima de uma maquina a carregar camioes como tu eras diferente de mim nesta relacao que eu tenho hoje com o meu filho, teu neto. Ensinaste-me muito...
Como eu te admiro Pai, tu em Africa sem saberes falar e como conseguiste por pao na mesa e dar-nos tudo o que precisavamos para sermos o que hoje somos.
Fostes HOMEM, nem sempre escolheste o caminho mais acertado, mas nunca vergastes e isso e de homem. O tempo faz esquecer.
Nos nao te esquecemos!
Mas como nos ha mais gente que te conheceu e que tambem nao se esquece, nem te esquece.

Sim. ainda ontem voava para Lilongwe e ha hora que perecias aterrava eu em Lilongwe, terra que te conheceu e me conhece e mais uma vez senti-me tao proximo de ti Pai.
A solidao, a distancia e a mesma Pai que sentistes...e eu sinto. E por isso Pai que eu olho para ti e cerro os dentes dizendo para a frente sempre para a frente.
Obrigado Pai por antes de partires teres tido o cuidado de me teres mostrado o caminho...para ser Homem.
Saudade. Gilberto

Susaninha disse...

As lágrimas correm-me e sinto o meu coração apertado...
Como tu dizes mano navegamos com um nó na garganta e um aperto no peito...
COMO TENS RAZÃO.

Também me lembro bem desse dia .O telefone tocou e a enfermeira disse para irmos ter com o Paizinho que ele estava mesmo em estado terminal e queria falar connosco...
VOAMOS...Ao chegar ao S.João o porteiro não nos deixou entrar.Eu e a P. ficamos cá em baixo e a Maezinha subiu.

A Mãezinha consegui.
Viu o grande amor da sua vida e partiu.

Estes dias tenho estado a ler as cartas. Lembram-se? Aquele livro que vos dei com as cartas que o Paizinho nos escrevia???
TENHO TANTAS SAUDADES DE SER FILHA...
TENHO MESMO MUITAS.

Eu sei que sou a mais nova e que muita coisa me passou ao lado, e que sou uma mimalha e que se calhar não sei o que é a vida...MAS NAO TENHAM DUVIDAS QUE VOS AMO MUITO MEUS PAPIS E MEU MANOS...
Peço desculpa se nem sempre entendo as coisas , ou se a minha maneira de agir é impulsiva e nem sempre sei vos entender...
MAS NAO DUVIDEM QUE VOS AMO MIUTO...

PAIZINHO ADORO SER O TEU BRINQUINHO DA CANTAREIRA...
Tenho tantas saudades que me chames migoteirinha.
GILBERTO ÉS UM FORÇA DA NATUREZA.AMO-TE MUITO. Foste um Pai para mim!
P. AMO-TE ...AS DUAS JUNTAS...

P.S- Aos amigos que estou connosco, não se esqueçam que os vossos Pais estão vivos..
DIZER AMO-TE É O MELHOR PRESENTE.

Anónimo disse...

Beijinhos...MFF

Anónimo disse...

beijinho Susi
nós gostamos muito de si!!!
Fáfá

LU disse...

Quando morre alguém próximo e querido é como se morresse um bocadinho de nós próprios.É algo de muito doloroso que nos acompanhará sempre, mas que traz consigo uma semente de benefícios que nos ajuda no nosso crescimento enquanto seres humanos.
Paulinha, tu não estás desprovida daquele amor, ele continua...
Como diria Fernando Pessoa, morrer é apenas não ser visto... é a curva de uma estrada. Do outro lado dessa curva está certamente um pai sorridente e feliz pela grandeza dos seus filhos!!

Beijo grande e muita força para a Su, Paula e Sr. Engenheiro!!!